ETKM - Notícias

INTERNET PARALELA
17/03/2005

Brasileiros pretendem criar internet paralela
Terça-feira, 15 março de 2005 - 08:20
IDG Now! com a colaboração de Guilherme Bantel
Uma empresa brasileira está planejando lançar uma rede paralela à internet,
na qual o WWW (world wide web, em inglês) será abolido.
Batizada de UNBnet, a rede criada pela empresa curitibana United Business
Net deverá prover serviços de e-mail, busca, hospedagem, comunicação
instantânea e serviços de e-commerce integrados com apenas um nome de
usuário e senha - chamados internamente de passaporte - que se assemelham às
ofertas do portal de serviços MSN, da Microsoft.
De acordo com José Edílson Borges, sócio da United Business Net, a rede
UNBnet será um portal de internet, que proverá os serviços gratuitamente aos
usuários.
Inicialmente, o internauta que se registrar já terá direito a um e-mail de
300 Megabytes, hospedagem de 18 MB, comunicador instantâneo integrado,
mecanismo de busca que funciona tanto para a UNBnet quanto para a WWW e um
gerenciador de e-mails compatível com todos os serviços oferecidos na web,
incluindo Hotmail.
O acesso será feito por meio de um navegador desenvolvido pela própria
United Business Net, que permitirá a conexão aos domínios das duas redes. Já
o formato dos endereços da nova rede será: http://unb.dominio.país .
Segundo Borges, toda a linguagem de programação é baseada em Visual
Basic.Net (.aspx), que oferece compatibilidade com todas as tecnologias
futuras da internet, além de ser compatível com todas as plataformas
operacionais mais comuns: Windows, Macintosh e Linux.
O sócio da UNBnet conta que o projeto já está em desenvolvimento há três
anos, canalizando investimentos de 2,5 milhões de reais em todo o período.
Para os dois primeiros anos, o grupo formado por três sócios - Luiz Carlos
Sodré, José Edílson Borges e Décio Gosenheimer - pretende abocanhar 10% do
mercado nacional.
"A nossa previsão é bem agressiva. Faremos parcerias com diversas empresas
de outros países na União Européia e nos tigres asiáticos, principalmente na
China", afirmou José Edílson Borges, que não descartou os Estados Unidos.
O executivo estima um faturamento de 60 milhões de reais nos dois primeiros
anos. Com a entrada em outros mercados, no entanto, Borges acredita que essa
previsão tende a crescer.
O modelo de negócios, diferente da internet atual, não dependerá da venda de
publicidade por banners ou cliques em links patrocinados. Borges afirma que
a fonte de rendimento será a venda direta de bens de serviços, que serão
oferecidos através da análise de hábitos dos internautas - o que ele chama
de marketing multinível.
A UNBnet será parcialmente lançada daqui a 60 dias, com quatro módulos
ativos: comunicador instantâneo, e-mail, hospedagem e serviços de
e-commerce. Este último será um serviço pago, com valor a ser divulgado.
Para acessar o website da UNBnet, clique aqui (em construção).